decisoes-sucessocoach-joao-anilson-santos

Todos nós ouvimos falar em intuição em diversas situações e ambientes. Este artigo aborda a intuição relacionada com o ambiente profissional. 

No mundo corporativo, muitas vezes questiona-se “como é que ela ou ele acerta na melhor solução ou no melhor caminho a seguir?” apesar de às vezes as alternativas nem serem as mais óbvias ou favoráveis e acabam por ser as mais eficazes.

Será que essas pessoas nasceram com intuição para tomarem as decisões mais acertadas?

Então de que se trata a intuição? É possível decompô-la em passos mais simples?

Será que eu também posso adquirir uma intuição mais acertada?

As boas noticias é que a intuição está ao alcance de qualquer um.

Pode ser um processo simples. Atenção que simples, não é fácil.

O processo de intuição é composto por 5 passos:
Aprendizagem – O que é possível aprender com o sucedido.
Perguntas – Que  perguntas se fazem sobre a situação.
Decisões – Quais as melhores decisões a tomar.
Ação – Quais as ações a executar segundo as decisões tomadas.
Melhoria Continua – Analisar resultados e reajustar ações e decisões

Analisemos em mais detalhe cada um dos passos mencionados.
Aprendizagem – Para a maioria das pessoas os problemas são vistos como obstáculos e não como oportunidade de crescimento. Esta é um passo importante no processo, pois permite tirar lições da situação ocorrida.

Em vez de se lamentar e se queixar porque determinada situação aconteceu, a intuição pergunta o que pode aprender com o sucedido, de que forma pode evitar que volte a acontecer e até de forma pode aproveitar o sucedido em seu favor.

Perguntas – A qualidade das perguntas efetuadas influencia a qualidade das respostas obtidas. Perante uma determinada situação, infelizmente a pergunta mais usual a ser feita é ‘porquê?’ ou ‘porquê que isto aconteceu?’.

Este é um tipo de pergunta que leva a um ciclo indeterminado de ‘porquês’, e para o qual não existirá respostas que permitam resolver a situação.

A intuição baseia-se em perguntas de qualidade que permitem caminhar em direção á solução e deixar para trás os problemas.

Perguntas como, de que forma se pode ultrapassar esta situação, ou como se pode tirar vantagem desta situação, quando se pode agir, quem mais pode ajudar e que mais se pode fazer. São perguntas que nos colocam automaticamente do lado da solução e longe do problema.

Decisões – Até uma decisão ser tomada nenhuma mudança ocorrerá. Perante as aprendizagens e com respostas qualidade, é necessário decidir o que deve ser feito para ultrapassar a situação ou problema actual.

Como disse Benjamim Franklin ‘A pior decisão é a indecisão’.

Ação – Nada acontece se nenhuma ação for executada. Não basta decidir, é preciso agir.
E para as decisões tomadas, é necessário estabelecer as ações a executar para alcançar os objectivos propostos. Definindo a sequência das ações a implementar e identificando quais os resultados esperados para cada ação. É neste passo que saímos da zona de conforto e onde o crescimento acontece.

Melhoria Contínua – Consiste em analisar os resultados e verificar em que direção está-se a caminhar.
Das ações implementadas e perante os resultados obtidos, coloca-se a questão ‘Está-se mais perto ou mais longe do resultado pretendido?’

Se sim, o caminho é o correto, se não, algo deverá ser ajustado para manter no caminho certo. E está tudo bem se for necessário ajustar decisões ou ações, até um avião está fora de rota maior parte da sua viagem, mas vai fazendo pequenos ajustes ao longo da viagem para chegar ao destino certo.

Segundo Albert Einsein, a definição de insanidade é continuar a fazer a mesma coisa e esperar resultados diferentes.

Pessoas com intuição fazem estes passos mentalmente na resolução de problemas das suas empresas ou departamentos, na contratação de novas pessoas, na escolha de fornecedores e parceiros e na criação de novas áreas de negócio.

Como pode ver, ninguém disse que não ia ser fácil, mas é simples, são 5 passos apenas.

Boas intuições.
Fonte: Progredir